3/14/2006

despertou

com uma frase a ecoar-lhe dentro como um sino:

"Louvados sejam os que correm o risco de ser pedra entre as pedras, flor da morte em flores mortas, nu entre os nus – oh louvados sejam."- Paulo Briguet

não entendeu porquê, mas há muito deixara de se questionar sobre o que lhe era estranho. não faria mais nada. tudo o que vivia pareciam cenas de uma peça que lhe tinham dado para interpretar e da qual desconhecia o autor.

by Mark Dornblaser

- aquele homem é fogo e gelo ao mesmo tempo. qual sobreviverá? as hipóteses seriam mínimas para o gelo, é óbvio ou parece, mas é como se ele se auto congelasse, quando só.

tenho de ir trabalhar. este homem está a tomar demasiado do meu tempo útil.

tudo parecia tão simples quando , em viagem, fazíamos versos surrreais a meias.

raios, o telefone. que máquina esta que eu dispensava bem!

- sim?

- olá!

- olá.

- posso ir buscá-la para jantar?

... posso?

- ... pode. até logo.

ela podia bem ter dito : - não.

podia. não fora a voz de fogo e as memórias da pele - pele de bébé! - que ultrapassaram os fios e lhe incendiaram o corpo no instante.


at terryvision

2 Comentários:

Blogger Manel do Montado disse...

Grande mar revolto por sentimentos. cada vez que aqui venho sei o que vou encontrar, mas é tão atracativo que não resisto.
Beijo

março 14, 2006 12:12 da tarde  
Blogger adesenhar disse...

lendo e relendo!

:)

março 15, 2006 1:58 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home

Isto Não É Um Diário.

----------